sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Uma nova flor no meu jardim


Texto e foto Luisa Galvão


Quando acordei e fui ao quintal saudar o dia, recebi um presente singelo, que encheu meu coração de beleza, suavidade, delicadeza e alegria. Havia uma nova flor no meu jardim!
De um tom púrpura profundo, a flor brotou enquanto eu cuidava de mim, no feriado prolongado de outubro e desabrochou durante a noite que cheguei de viagem.
Foi um final de semana intenso, onde muitas coisas aconteceram em meu corpo, minha mente, meus sentidos e também na minha alma. Muitos estímulos contínuos, inusitados, conhecidos, reconhecidos e imaginários... momentos de reflexão diante de uma natureza exuberante e muito participativa.
Impossível não ser tocada em cada célula por aquela paisagem incrivelmente linda! Água esmeralda que refletia um céu azul de gostosas nuvens brancas! Pássaros que sobrevoavam o espelho d´água em todos os momentos do dia! Cigarras alegres e festeiras, em suas conversas matinais, anunciavam a grandeza de cada recomeço. A dança das águas ao sabor do vento que chegava trazendo um sopro encantado, onde residem muitas respostas para as questões da vida!
E esse vento lambendo meu corpo ao sol da manhã, me fez viajar na imensidão do pensamento e rever velhos conceitos que não servem mais... porque tudo no mundo é perene, mutável, inconstante... e assim nos ensinam os ventos: por onde passa, tudo muda de lugar!
O chão incrustado de cristais brutos é sempre um convite as caminhadas, onde aproveito para conversar com os anjos, com todos os seres e entidades das matas e o do reino mineral! Junto de mim a presença dos cães que se embolavam em brincadeiras deliciosas e depois sumiam no mato em busca dos cheiros e movimentos de outros bichos.
Cada começo de dia anunciava a oportunidade de aprendizagem e experimentação! E cada fim de tarde representou um novo desafio! A entrada na escuridão da noite revelava que sempre há luz vindo do alto para nos acompanhar, nos guiar e nos proteger! A abóbada do céu escuro furado por incontáveis estrelas brilhantes, de todos os tamanhos, me mostrou a dimensão da criação e o quanto sou pequena diante do universo e, ao mesmo tempo, tão importante, tão significativa e totalmente única!
O poder da fogueira queimando dores, fracassos, emoções doentias, medos, inseguranças, travas, garras... reaqueceu meu fogo interno e minha intenção de seguir no caminho do auto-conhecimento, quebrando barreiras e descobrindo novas formas de ver e sentir. Suas labaredas subindo aos céus elevaram meus pensamentos e pude enviar ao universo meus pedidos de alinhamento de minha energia vital, de atenção, carinho e cuidado comigo mesma e da minha (re) conexão permanente com Deus, ampliando em mim o amor incondicional. Quero meu coração limpo, alegre e repleto de amor!
As nossas conversas, algumas em forma de confissão, trouxeram cura de feridas profundas, além de compreensão e entendimento em relação aos outros.
No balanço das águas senti a presença de mim mesma em meu colo, sem medo de explorar os recantos do útero eterno, terno e grande da mãe terra. E de dentro d´água, implorei ao gavião que me levasse junto num vôo de visão ampliada, para esquadrinhar a infinita extensão de minha vida, sob os olhos atentos e com foco preciso em cada ponto.
Também pude mergulhar no lago da represa para visitar o silêncio criativo e acalentador da água, que contem os mistérios da criação e da manutenção da vida.
Pude me alegrar brincando com minha criança de muitas maneiras, sozinha e com meus amigos! Ri de quase chorar! Chorei muito e depois pude novamente sorrir, aliviada em perceber que consegui andar mais alguns passos, apesar de saber que terei que voltar em alguns lugares para compreender os meus sentimentos, antes de realmente poder partir.
E depois de tudo isso, cheguei cansada em casa... minha casa! Fui recebida pela intensa alegria e brincadeiras singulares de meus cães. Gostosamente reconheci os cheiros, luzes e texturas de meu mundo particular e fui dormir feliz e realizada por ter conseguido superar mais uma montanha, que um dia julguei intransponível.
E, ao amanhecer de hoje, recebi uma nova flor no meu jardim!

13/10/2009

2 comentários:

Rachel disse...

Que lindo texto! É como se eu conseguisse sentir cada momento descrito, compartilhar cada sensação e me deixar levar pelas suaves palavras que me fizeram viajar para lugares que apenas os mais lindos e profundos sonhos podem nos mostrar.

Anônimo disse...

LEGAL DEMAIS!